Diferenças entre alergia à proteína do leite e intolerância à lactose

Desde que nascemos tomamos leite, seja materno ou de fórmulas. Tomar aquele leitinho está no dia-a-dia do brasileiro e muitas pessoas não conseguem se imaginar  ficar sem tomá-lo um dia se quer. Essa realidade, no entanto, não é real para todos! Existem casos de pessoas que não podem consumir leite podendo chegar a ser fatal o contato com esse alimento.

Alergia à proteína do leite x Intolerância à lactose

A primeira diferença entre esses dois problemas está na substância do leite, ou seja, a alergia está relacionada à proteína do leite de vaca enquanto a intolerância está ligada ao açúcar do leite, que é a lactose.

A intolerância à lactose é caracterizada pela deficiência da enzima lactase. Esta enzima é responsável pela quebra da lactose, que promove à absorção deste nutriente, e assim, fornece energia para o organismo. A presença da lactose intacta, ou seja, que não foi aproveitada pelo organismo, causa alterações na parede do intestino, promovendo sintomas característicos desta intolerância, tais como dores abdominais, gases e diarreia. Nesses casos, é possível consumir produtos sem lactose como iogurtes, leites, queijos. Leite de cabra, búfala e alguns queijos bem amarelos já são naturalmente sem lactose.

Já a alergia se dá por uma reação do sistema imunológico às proteínas do leite animal, que a encara como um risco ao organismo.  Os sintomas da alergia podem ser gástricos como vômitos, cólicas, diarreia, dor abdominal, prisão de ventre, presença de sangue nas fezes, refluxo; dermatológicos como urticária, dermatite atópica de moderada a grave e respiratórios, incluindo fehcamento das vias respiratórias.

As reações podem ocorrer após à ingestão de leite ou derivados, de forma persistente ou repetitiva. Qualquer reação diferente ao consumo desses produtos deve ser imediatamente informada à um profissional médico

Nos casos em que a alergia é identificada, faz-se necessária a exclusão de todos os alimentos que contenham proteínas do leite, ou seja, mesmo os produtos sem lactose não devem ser consumidos, incluindo manteiga ghee.

Para que o médico faça o correto diagnóstico, é muito importante que sejam passadas as informações corretas do que está acontecendo com nosso corpo.

No meu caso, o que me ajudou muito foi fazer um diário alimentar anotando tudo o que meu filho comia e quais reações que verificava. Muitas vezes é possível ter reações tardias e os bons médicos conseguem analisar essas reações com base em um diário bem detalhado. Por isso, o mais importante de tudo é sempre estarmos atentos ao nosso corpo!

Deixe Seu Comentário

O seu endereço de email não será publicado.

Campos obrigatórios são marcados*